Pesquise no Grupo AVPH
loading...

Barbourofelis loveorum

   Os Barbourofelis loveorum cujo nome é em homenagem ao paleontólogo E.H. Barbour e lovei devido aos irmãos Ron e Pat Love, donos das terras onde os fósseis foram encontrados. Eram enormes carnívoros que viveram há aproximadamente entre 9,5 a 8,0 milhões de anos atrás durante o Mioceno na América do Norte.

   Essa espécie é a mais primitiva do gênero Barbourofelis e uma das menores, chegavam a medir 0,6 metros de altura e 2,0 metros de comprimento e pesar cerca de 70 quilogramas. Eram extremamente robustos, com uma constituição corporal similar há uma mistura de um leopardo com um urso pequeno. Possuíam enormes dentes em formato de adaga, sendo conhecidos como falsos dentes de sabre, pois na verdade não eram parentes dos famosos tigres dente de sabre, sendo apenas parentes distantes dos felinos. Seus dentes caninos em formato de sabre eram enormes, eram maiores proporcionalmente ao tamanho até mesmo se comparados com dentes os famosos tigre dentes de sabre, possuíam até a mandíbula adaptada para acomodar e proteger os enormes dentes. Esses caninos gigantescos somente se desenvolviam quando o animal era adulto, evitando assim que se danifica-se enquanto o animal fosse jovem e estivesse em crescimento.

   Se comparados os felinos atuais, os Barbourofelis possuíam uma bacia maior, com ossos mais desenvolvidos, proporcionando maior estabilidade ao correr e capacitando-o a atacar de frente, trombando fortemente com presas como Teleoceras e Gomphotherium. Para se aproximar de suas presas, utilizavam o método de emboscada, aguardando escondido a presa se aproximar o suficiente, para que com um ataque derrubasse a presa utilizando sua força e focando a região do pescoço, cortavam-no com seus enormes dentes em formato de adaga. Verifica-se nesse gênero a presença de um cérebro relativamente pequeno se comparado com os felinos de porte similar, que poderia indicar também que esses animais não eram muitos sociáveis, onde a mãe cuidaria dos filhotes apenas até atingirem a idade em que pudessem se cuidar sozinhos e em seguida voltavam ao estilo de vida solitário.

   Seus fósseis foram descobertos por Baskin em 1981, no Condado de Alachua, na Flórida, Estados Unidos. Outros achados dessa espécie foram realizados na California e em Oklahoma. Inicialmente foi nomeado como Barbourofelis lovei (Baskin, 1981), porém como a nomenclatura homenageia duas pessoas, o correto de acordo com a Comissão Internacional de Nomenclatura Zoológica, o sufixo utilizado deveria ser -orum, sendo então alterado para Barbourofelis loveorum por Hulbert em 1992.

   Acredita-se que essa espécie tenha surgido de adaptações ao meio do gênero asiático Albanosmilus, representado pela espécie norte americana Albanosmilus whitfordi. Espécies do gênero Barbourofelis voltaram a habitar a terra de seus ancestrais, a Ásia e se espalharam através do grande continente. Foram extintos há cerca de 5 milhões de anos atrás, provavelmente causada pela competição com outros predadores mais adaptados. Os Nimravideos, família a qual os Barbourofelis pertenciam, não possuem descendentes atuais.

Dados do Mamífero:
Nome: Barbourofelis
Nome Científico: Barbourofelis loveorum
Época: Mioceno
Local em que viveu:América do Norte
Peso: Cerca de 70 quilogramas
Tamanho: 0,6 metros de altura e 2,0 metros de comprimento
Alimentação: Carnívora

Classificação Científica:
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Subordem: Feliformia
Família: Nimravidae
Subfamília: Barbourofelinae
Gênero: Barbourofelis
Espécie: Barbourofelis loveorum (Baskin, 1981)

Sinônimos:
- Barbourofelis lovei (Baskin, 1981)

Paleoatista:
- Roman Uchytel

Referências:
- Bryant, H. N. 1988. Delayed eruption of the deciduous upper canine in sabertoothed carnivore Barbourofelis lovei (Carnivora, Nimravidae). Journal of Vertebrate Paleontology 8(3):295-306. http://www.jstor.org/stable/4523206.
- Baskin, J. A. 1981. Barbourofelis (Nimravidae) and Nimravides (Felidae), with a description of two new species from the late Miocene of Florida. Journal of Mammology 62(1):122-139. http://www.jstor.org/stable/1380483.
- Bryant, H. N. 1991. Phylogenetic relationships and systematics of Nimravidae (Carnivora). Journal of Mammology 72(1):56-78. http://www.jstor.org/stable/1381980.
- Baskin, J. A. 2005. Carnivora from the late Miocene Love Bone Bed of Florida. Bulletin of the Florida Natural Museum of History 45(4):413-434. http://www.flmnh.ufl.edu/bulletin/baskinlowres.pdf.
- Meachen-Samuels, J. A. 2012. Morphological convergence of the prey-killing arsenal of sabertooth predators. Paleobiology 38(1):1-14. http://www.bioone.org/doi/full/10.1666/10036.1.
- Schultz , C. B., M. R. Schultz, and L. D. Martin. 1970. A new tribe of saber-toothed cats (Barbourofelini) from the Pliocene of North America. Bulletin of the University of Nebraska State Museum, 9(1):1-31.
- Florida Museum of Natural History, Vertebrate Paleontology, Fossil Species of Florida, http://www.flmnh.ufl.edu/vertpaleo/fossilspeciesBarbourofelisloveorum.htm.



loading...
   ® Atlas Virtual da Pré-História - AVPH.com.br | Conteúdo sob Licença Creative Commons | Política de Privacidade | Termos de Compromisso | Projeto: AVPH Produções
    Obs.: Caso encontre alguma informação incoerente contida neste site, tenha alguma dúvida ou queira alguma informação adicional é só nos mandar um e-mail. Tenha uma boa consulta !!!.